Durante os últimos 15 dias não há tema mais recorrente nos meios de comunicação informativos do que a problemática do Trio do Mal: Dengue, Zika e Chicungunya. Os casos têm se multiplicado no Brasil inteiro favorecidos pelo desleixo da população em ainda manter água parada em suas residências e agravado em função das chuvas e do calor.

Dentre os três, não há dúvida, o cara do momento é o Zika! Nesta segunda-feira, dia 1º de fevereiro de 2016, a OMS declarou estado de emergência global em função da associação do Zika com a a microcefalia. O governo investiga hoje 3670 casos da má formação encefálica em bebês que podem estar associados ao vírus. E, pra piorar, neste dia 3 um boletim de saúde norte-americano confirma o primeiro caso de transmissão do zika via relação sexual.

Muito embora o enquadramento da doença como uma DST não seja de fato o maior dos problemas (entenda melhor aqui o porquê), realmente a situação é alarmante. Ainda faltam alguns meses para o frio chegar na região sul e sudeste do país, com isso o mosquito tem muito tempo para se multiplicar, as gestantes aumentam a preocupação, os postos de saúde lotam e se instaura sobre a Olimpíada do Rio uma névoa de tensão.

O Zika vírus pertence a família Flaviviridae, a mesma da dengue, febre-amarela e hepatite C. Ataca células dendríticas, pertencentes ao sistema imune e responsáveis por capturar e transportar antígenos para os linfonodos.

Deixo pra vocês dois excelentes vídeos que vão explicar quase tudo que sabemos até o momento sobre a doença, desde como ele atua, até como chegou ao Brasil e porque é uma ameaça real.